ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicado em 12/11/2016 às 00:00:00 - Atualizado em 12/11/2016 ás 00:00:00

 

Com início do período chuvoso, aumenta a preocupação com a gripe H1N1


A vacina é indicada para as pessoas de 9 a 45 anos, principalmente, para as que vivem em áreas endêmicas, como é o caso do Amazonas

 

Com a chegada do período chuvoso, que vai de novembro a maio no Amazonas, uma das principais preocupações é o aumento do número de casos da gripe H1N1. De janeiro a outubro deste ano, a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) registrou 39 casos de H1N1, com sete mortes. Em 2015, a doença não foi notificada no estado.

 

De acordo com a médica e diretora da Clínica Vacinar, Amanda Alecrim, com a intensificação das chuvas, a tendência é aumentar a circulação do vírus que causa a doença. Ela ressalta que os meses considerados mais frios são os mais propícios à transmissão do H1N1, mas isso não é uma regra. “Em 2016, os casos de H1N1 aumentaram consideravelmente, no Brasil, ocasionando um surto da doença em março, antes mesmo do período de pico”, relatou. 

 

Indicada a partir dos seis meses de idade, a vacina contra H1N1 deve ser repetida anualmente, segundo ela, para que a pessoa esteja imunizada, independente da época do ano. A vacina disponível na rede privada é a quadrivalente, que protege contra H1N1 e também para os outros tipos de vírus da gripe. Amanda Alecrim explica que quem se vacinou em 2016 está imunizado até o final do ano. Quem não se vacinou, deve fazer isso o quanto antes. A médica alerta que somente com a imunização é possível reduzir as chances de surtos e a evolução para a forma mais grave da enfermidade. 

 

Assim como a gripe comum, a transmissão da H1N1 acontece por meio de espirro e tosse, porém, a doença pode ocasionar complicações graves, como a insuficiência respiratória, que pode levar o paciente à morte se não for tratada imediatamente.

 

Os sintomas da H1N1 são os mesmos da gripe comum: febre, calafrios, tremores, dor de cabeça e de garganta, perda de apetite e tosse. Além da vacinação, algumas outras medidas devem ser adotadas como prevenção à doença: manter as mãos higienizadas; cobrir a boca e o nariz ao espirrar ou tossir, ter boa alimentação e evitar lugares com grande aglomeração de pessoas.

 

Dengue – Outra doença que aumenta com a chegada do período chuvoso, mas que pode ser prevenida com vacina é a Dengue. Aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacina chamada de Dengvaxia é a única disponível no mercado contra a doença. A vacina apresenta 93% de proteção nos casos graves de Dengue e redução de 88% das internações. É aplicada em três doses, com intervalo de seis meses entre elas. “A partir da primeira dose, a vacina já provoca uma resposta imunológica do organismo. Mas, para proteção total, é preciso concluir as três doses”, afirmou Amanda Alecrim.

 

A vacina é indicada para as pessoas de 9 a 45 anos, principalmente, para as que vivem em áreas endêmicas, como é o caso do Amazonas. Amanda Alecrim orienta a população a também reforçar o combate aos criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor da Dengue, eliminando o acúmulo de água em recipientes.

 

Com Informação da Assessoria

Publicidade