ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicado em 13/11/2016 às 00:00:00 - Atualizado em 13/11/2016 ás 00:00:00

 

Pedra de jade de R$ 500 milhões não poderá ser usada


A falta de equipamentos e estradas adequadas impede a extração da pedra preciosa da região onde foi encontrada, no norte de Mianmar

 

Uma pedra preciosa de jade, pesando 174 toneladas e avaliada em 170 milhões de dólares (cerca de 532 milhões de reais), deverá permanecer onde foi encontrada, em uma montanha na região norte de Mianmar. Os proprietários que encontraram a jade de 5,8 metros de comprimento na semana passada ainda não têm os equipamentos necessários para extraí-la. A falta de uma estrada adequada nesta área também prejudica a operação.

 

Mianmar produz a maioria das pedras de jade de boa qualidade do mundo – cerca de 70%. Em 2014,  a venda do produto para o mercado mundial foi de 31 bilhões de dólares (aproximadamente 97,3 bilhões de reais). Segundo a ONG Global Witness, a produção é equivalente a quase a metade do PIB do país, um dos mais pobres do sudeste asiático.

 

Existem dois tipos de pedra de jade no mundo: a jadeíta e a nefrita. As composições químicas e físicas são as propriedades que as diferem. Ambas são usadas para fins ornamentais, em joias e ou estão presentes em obras de arte.

A rocha mais conhecida é a chamada ‘Jade Imperial’ que apresenta um tom de verde mais intenso, chamado de verde-esmeralda.

 

VEJA.COM

Publicidade