ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Publicado em 09/01/2017 às 00:00:00 - Atualizado em 09/01/2017 ás 00:00:00

 

Pastor sugere que ataque pode ter sido ordenado por religioso


Suspeita está em depoimento gravado em vídeo por Valdemiro Santigo, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, atacado com um facão durante culto no Brás

 

O pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, sugeriu, em vídeo postado na noite de domingo, que o ataque com um facão do qual foi vítima durante culto em templo do Brás, região central de São Paulo, foi encomendado por algum outro religioso.

 

O pastor levou um golpe de facão no pescoço, desferido pelo ajudante geral Jonathan Gomes Higino, de 20 anos, preso em flagrante.  “Ninguém mexe com a minha fé, ninguém tira a minha fé. Provavelmente tenha sido até um religioso que mandou fazer isso. Mas não ore contra ninguém. Não funciona. Ore a favor. Ore pra Deus abençoar o mandante, abençoar esse que fez. (…) E quem mandou ele [o suspeito] fazer isso, deve estar bem frustrado agora. Que Deus te abençoe e tire esse ódio do seu coração”, disse o pastor, que fundou a Igreja Mundial do Poder de Deus após romper com o bispo Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus, da qual era egresso.

 

O pastor recebeu alta do hospital no início da tarde de domingo. Ele foi ferido por volta das 7h30 de domingo e foi socorrido pelos seguranças da igreja, cena que foi transmitida ao vivo pelo canal da instituição, e encaminhado ao hospital Sírio-Libanês. Lá, passou por um procedimento para costurar o corte e levou 25 pontos. Por volta das 12 horas, já estava liberado para ir para casa.

 

O ajudante estava na fila da chamada “imposição de mãos” da igreja para receber bençãos, quando atacou o pastor. Em depoimento à polícia, Higino disse que Santiago o havia provocado durante um culto em julho. “Vamos crucificar ele”, teria lhe dito o pastor na ocasião.”Na hora, eu lembrei que tinha abaixado para dar um abraço numa pessoa. E era ele [o suspeito]. Ele já está perdoado, abençoado. Tem gente que não gosta da gente, apesar de tudo. Mesmo assim eu vou continuar lutando, inclusive para libertar esse moço”, contou Santiago.

 

No vídeo, o pastor disse ser um “ungido de Deus” e que a camisa que estava usando na hora do atentado foi passada entre os fieis para que eles fossem curados. “Até a camisa que ficou ensanguentada, através dela Deus já curou pessoas na igreja. E através do manto foi passada a camisa”, afirmou ele.

 

Assista o vídeo na Veja.Com

Publicidade